Para bebês e suas mães.

 

Um pouco de história...

 

Após a criação da creche, os numerosos casos de desnutrição e de tuberculoses destacados apoiam em evidência a necessidade de prestar assistência ainda mais cedo na vida da criança.  Amigos franceses que vieram nos visitar constataram essa situação deplorável, decidiram oferecer a herança da sua avó Antonieta.

A cozinheira da creche da época, Marlene Souza, decidiu estabelecer um centro de acolhimento a fim de apoiar as mães nas dificuldades do cotidiano (saúde, nutrição das crianças, confecção de roupas...). Vindo que muitas delas começavam de novo a engravidar, se organizaram acompanhamento aos postos de saúdes e aos diversos exames medicais. Pouco a pouco, as mães se ajudassem entre elas nas tarefas quotidianas com os bebês, principalmente na confecção dos enxovais dos bebes. Em 2000 é criado oficialmente o Centro Antonieta. Ao principio da sua existência, o centro acolhia gravidas extremadamente jovens.

Hoje, acolhemos entre 15 e 30 mães grávidas ou com crianças de menos de 2 anos, e que tem entre 15 e 35 anos. A maioria delas não se esperava a ter um bebê, e não tem apoio da família.

O centro vem como um salvamento numa situação muitas vezes desesperada, onde a jovem mãe vê o aborto, ilegal e arriscado, como única opção. Passando o dia junto com as educadoras, cuidando dos filhos, da comida, da roupa e se ajudando, essas mães vivem uma experiencia socializante baseado no respeito mutuo.

Elas recebem uma educação sanitária e social com o objetivo de incentivar auto-estima e integração social, planejamento familiar e artesanato de materiais reciclados.

 Objetivos

Ajudar as jovens mães a aceitar a gravidez, evitar o aborto e cuidar de sua saúde.

Dar um quadro para amar e cuidar da sua saúde e do seu bebê, com amamentação até dois anos.

Orientar a uma maternidade responsável e ao futuro de mães de família, utilizando um programa de replanejamento familiar.

Incentivar elas a cultivar esperanças e abrir perspectivas para sair do desanimo, da acomodação, da exclusão social, cultivando e levantando sua autoestima.