Para bebês e suas mães.

Um pouco de história…

Após a criação da creche, os numerosos casos de desnutrição e de tuberculoses destacados apoiam em evidência a necessidade de prestar assistência ainda mais cedo na vida da criança.  Amigos franceses que vieram nos visitar constataram essa situação deplorável, decidiram oferecer a herança da sua avó Antonieta. A cozinheira da creche da época, Marlene Souza, decidiu estabelecer um centro de acolhimento a fim de apoiar as mães nas dificuldades do cotidiano (saúde, nutrição das crianças, confecção de roupas…). Vindo que muitas delas começavam de novo a engravidar, se organizaram acompanhamento aos postos de saúdes e aos diversos exames medicais. Pouco a pouco, as mães se ajudassem entre elas nas tarefas quotidianas com os bebês, principalmente na confecção dos enxovais dos bebes.  Em 2000 é criado oficialmente o Centro Antonieta. Ao principio da sua existência, o centro acolhia gravidas extremadamente jovens. Hoje, acolhemos entre 15 e 30 mães grávidas ou com crianças de menos de 2 anos, e que tem entre 15 e 35 anos. A maioria delas não se esperava a ter um bebê, e não tem apoio da família. O centro vem como um salvamento numa situação muitas vezes desesperada, onde a jovem mãe vê o aborto, ilegal e arriscado, como única opção. Passando o dia junto com as educadoras, cuidando dos filhos, da comida, da roupa e se ajudando, essas mães vivem uma experiencia socializante baseado no respeito mutuo. Elas recebem uma educação sanitária e social com o objetivo de incentivar auto-estima e integração social, planejamento familiar e artesanato de materiais reciclados.

Objetivos

Ajudar as jovens mães a aceitar a gravidez, evitar o aborto e cuidar de sua saúde.Dar um quadro para amar e cuidar da sua saúde e do seu bebê, com amamentação até dois anos.Orientar a uma maternidade responsável e ao futuro de mães de família, utilizando um programa de replanejamento familiar.Incentivar elas a cultivar esperanças e abrir perspectivas para sair do desanimo, da acomodação, da exclusão social, cultivando e levantando sua autoestima.

  • Aprender a ser mãe

Oferecemos uma formação básica para o cuidado dos bebês acolhidos e a preparação de uma alimentação saudável e com  poucos recursos. As mães aprendem a costurar, realizar  pequenos artesanatos e a cultivar a horta orgânica.

  • Os exercícios físicos

Realizamos estiramentos, relaxamento e trabalho com energias, que transmitam ás gravidas um modo de seu comunicar com seu bebe, assim como salienta a necessidade de manter sua saúde física.

  • A cooperativa 

A produção de sabão, biscuits, pintura em tecidos, “multi misturas” para enriquecimento alimentar, etc., permite ás mulheres aprendem a fazer, comercializar e partilhar entre si, os resultados financeiros alcançados bem como as experiências adquiridas. Posteriormente, essa aprendizagem pode se tornar  uma fonte de renda para sua família.

  • Aulas de Empregabilidade

Visto o contexto social, as aulas de empregabilidade são realizadas para apresentar as exigências do mundo do trabalho para que as mães tenham uma facilidade ao procurar um emprego ou até mesmo montar seu negocio, salientando comportamento, postura, vestuário, vocabulário, e formação.

  • As palestras e atividades externas

Varias palestras são organizadas e contam com as participações do posto de saúde da família, do grupo de ontologia da UFBA, e do grupo de psicólogos. Para trazer ás acolhidas um pouco de arte, cultura e diversão, várias atividades externas são realizadas, tais como, ida ao Museu Náutico, Parque de Pituaçu, Cinema e Praia.

  • Apoio Social

Um apoio social é dado, em caso de necessidade, para os transportes (procura de documentos, exames médicos) ou para alimentos dos fins de semana (cestas básicas, frutas e verduras) e excepcionalmente, com acordo da coordenação social, para emergência: água ou luz cortada, botijão de gás, remédios.